sábado, 9 de janeiro de 2010

Polígonos

Para toda revolução um novo horizonte, ainda que se continue olhando para o mesmo lugar.



Status: Pensamentos aleatórios – online



Às vezes eu canso das minhas próprias besteiras.


Há quanto tempo sou a mesma pessoa?

Há quanto tempo gosto das mesmas coisas?


É como um quadrado, você caminha por ele sem perceber que as arestas possuem o mesmo tamanho. Caminha sem destino, mas sabe que as coisas irão se repetir.



Quantas pessoas já interpretaram as mesmas situações?

Vez ou outra eu vejo as repetições acontecendo.



Novamente não era bem isso, pensei uma coisa e escrevi outra.



Parei de imaginar contos, esqueci das estrelas - nunca mais olhei pro céu, nem mesmo de dia, faz muito tempo que a idéia de escrever um livro com aquela história que eu ainda não imaginei saiu da minha cabeça, cansei de tentar criar construções mirabolantes, meus sonhos se resumiram aos que tenho enquanto durmo e agora, nesse exato instante, eu listo do avesso as coisas que me povoam, porque faz muitos anos que eu não alço vôo pelo salão dos pensamentos.




Fuuuuu !


O mundo é uma representação.

Um comentário:

Camila Chagas disse...

Acabei de concluir q postagens são como reflexos: Vc lê no outro aquilo q está em si mesmo...

*_*

Ou talvez estejamos num mesmo salão esperando o baile da vida colocar uma dança mais empolgante... Se o voo ainda não foi alçado em sua plenitude, cabe a nós explicitarmos as intensidades dos nossos pensamentos através de textos, para q o amor neles vejam poesia e nossos corações traduzam como música.
.
.
.

P.S: Lelena Chan, pare de me completar tanto assim!!!!

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk