domingo, 11 de outubro de 2009

-

Ele levantou apoiando-se nas mãos grandes, e mexendo no cabelo foi em sua direção.

Ela, encostada no muro esperava sua chegada. Ele puxou seu braço e encostaram face a face.

Aquele gel que deixava o aspecto molhado escorria com a água da chuva.

Ela abraçou seu pescoço, ele laçou sua cintura. Dançaram até machucar os pés.

Ela, molhada pela chuva. Ele, molhado de suor.

E eu ouvindo Bob Dylan.

UAHEAHEUAHEAUHEUAE





---

Foi ontem? É, acho que foi ontem.

Não foi antes de ontem, não?

Não sei... será?

Não importa.

Achei aquilo lá tão vazio, e você?

Meio desorganizado... Mas com uma faxina talvez melhore.

[Suspiro] Eu é que não vou limpar.

Nem eu.

E aquela mania de achar que fala comigo?

Ah, sei lá, faz de conta que não está escutando.



Conversa do meu consciente com o meu inconsciente sobre a bagunça eterna da minha cabeça.






Um comentário:

Camila Chagas disse...

Viajei legal agora pq vc me deu esse elementos: o gel, os cabelos, a mão e a chuva... A chuva cai, a mão escorre pelos cabelos e fica melada de gel... Que agonia!!!!!!!!!!!!!!!!





huehueheeuheeueheueheuehe